Plataformas de tecnologia simplificam negócios em diversos setores

Sistemas inteligentes refletem a mudança de comportamento de uma sociedade conectada e dão cara nova a mercados tradicionais, das finanças pessoais aos serviços jurídicos

Uma onda de empresas “techs”, termo usado como referência à tecnologia, já cobre diversos setores. Na educação, as chamadas EdTechs vão dos cursos em EAD aos conteúdos colaborativos. Na saúde, o sucesso das MedTechs, empresas que facilitam a marcação de consultas e atendimentos, ligando médicos e pacientes. Na área jurídica, as LegalTechs auxiliam e esclarecem a população. Em Investimentos e finanças, FinTechs voltadas para o acesso e a desburocratização.

Em comum, essas plataformas utilizam recursos digitais e inteligência de mercado para oferecer soluções mais simples, com maior controle, transparência, agilidade e qualidade. Chegam como alternativa a gargalos como o setor jurídico, onde o número de processos já passa de 100 milhões e os advogados precisam aderir à tecnologia, ou áreas antes consideradas fora do alcance da população em geral, como a consultoria e gestão de investimentos.

FinTechs

Quando o assunto é dinheiro, mais especificamente investimentos e finanças pessoais, as plataformas de tecnologia ganham destaque. As fintechs simplificam o mercado e reduzem custos e burocracia. Hoje é possível não só fazer a maioria das transações bancárias por aplicativos mobile como, também, utilizar sistemas automatizados para investir da melhor maneira, aumentar patrimônio ou calcular uma boa aposentadoria.

A Magnetis (www.magnetis.com.br), plataforma de investimentos online pioneira no Brasil, sintetiza todo o poder de impacto das fintechs. A ferramenta permite que qualquer pessoa, independentemente do nível de conhecimento sobre finanças, identifique o seu próprio perfil e faça um planejamento em poucos cliques, gratuitamente. Numa questão de segundos a consultoria entrega as chances de conquista dos valores definidos como objetivos pelo usuário, que ainda pode fazer ajustes com base nas informações e gráficos gerados pelo sistema. “É uma quebra de barreira. Pensar no futuro com aumento de patrimônio deixa de ser um assunto para os ricos. Está, literalmente, ao alcance das mãos, com a tecnologia como suporte para decisões inteligentes”, afirma Luciano Tavares, CEO da Magnetis.

Este interesse é mesmo justificado. As fintechs, entre outros atrativos, oferecem serviços com maior comodidade, pelo uso em qualquer lugar e hora; segurança, pela movimentação em ambiente virtual; e com melhores preços ou taxas, uma vez que não precisam cobrir gastos com a estrutura física e volume de recursos humanos das instituições tradicionais. “Um dos maiores atributos da Magnetis é a imparcialidade. Não recebemos comissão sobre as vendas, ou seja, não há conflito de interesses. Assim, o cliente tem sempre a certeza de que os investimentos recomendados pelo algoritmo são os melhores para o seu perfil e objetivos”, explica Luciano.

LegalTechs

A Tikal Tech é uma empresa que desenvolve soluções para o mercado jurídico. De ferramentas que otimizam o trabalho de advogados e escritórios inteiros a uma plataforma que ajuda a população a acompanhar e entender processos. Fundada em 2015, faz parte de um movimento disruptivo, que, assim como as FinTechs, usa a tecnologia como base para maior escala e, principalmente, maiores impactos sociais e de negócios.

São três sistemas em operação, que já somam mais de 170 mil usuários:

  • SeuProcesso (5 mil acessos / dia): sistema em que cidadãos e pequenas empresas podem identificar, acompanhar e esclarecer dúvidas sobre processos em poucos cliques, mesmo que não tenham o número da ação.
  • LegalNote: assistente pessoal digital que permite que o advogado leve o escritório no bolso, reunindo recursos de localização, indexação e organização de processos, conectado às fontes oficiais.
  • Diligeiro: plataforma que usa a tecnologia para simplificar a contratação de correspondentes jurídicos, conectando advogados de diversas partes do país.

“Estes produtos são importantes e apenas o começo. Nossa intenção é desenvolver ações que contribuam com a otimização da área jurídica, apostando em níveis de inteligência artificial e atendendo, também, sob demanda”, conta Derek Oedenkoven, CEO da Tikal Tech.

Spread the love

Deixe uma resposta